sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Helena (de Machado de Assis)

Quando comecei a ler "Helena" eu não tinha a menor idéia do enredo. Simplesmente decidi ler, porque é um clássico da Literatura Brasileira. Além disso, tenho ouvido muitos elogios sobre a obra.

Machado de Assis já inicia a história sem rodeios. Ele vai direto ao ponto principal, alcançando a façanha de não cansar o leitor com descrições extensas e enfadonhas, e nem com acontecimentos desnecessários na trama.
Já nas primeiras páginas, o autor narra a morte do conselheiro Vale, destacando os amigos mais íntimos que o mesmo tinha. São eles o Dr. Camargo e o Pe. Melchior.
No testamento, o conselheiro Vale pede o reconhecimento público de Helena, alegando se tratar de uma filha fora do casamento e abdicada do seu convívio familiar.
O fato acaba desagradando Dr. Camargo, - que embora aparentemente fosse muito amigo do conselheiro, estimava bem mais os bens financeiros que o falecido tinha do que a amizade que dizia nutrir por ele - e Dona Úrsula, que temia que uma estranha desintegrasse a harmonia familiar ou tentasse tirar proveito da situação.
Acontece que Estácio, filho do conselheiro, aceita receber Helena de espontânea vontade, prometendo tratá-la tal qual um membro de sua família e, principalmente, como a irmã que outrora nunca teve.

Helena é descrita ora como uma garota impetuosa e calculista, ora como uma garota risonha e delicada. É o tipo de pessoa capaz de se adaptar à qualquer situação, seja boa ou ruim, demonstrando a emoção propícia do momento, ainda que tal emoção não corresponda aos seus próprios sentimentos.
Essa peculiaridade provoca desconfiança não só em D. Úrsula como também em Estácio. O interessante nisso é que, no decorrer da leitura, percebemos que a pessoa mais dissimulada é mais um amigo próximo do conselheiro que a própria Helena.

A narrativa faz todo um mistério em torno do passado da protagonista. Ninguém sabe ao certo de onde ela veio e porque o conselheiro Vale a colocou no testamento. Todos esses questionamentos são desvendados aos poucos, de maneira tão sutil, que cada descoberta acaba incentivando ainda mais a leitura.
Ao mesmo tempo, o autor expõe ao leitor o drama e o desespero da moça, ao aperceber-se apaixonada por Estácio; e a relutância do irmão de admitir para si mesmo que também está apaixonado por Helena.

O final foi uma surpresa pra mim. Admito que em nenhum momento eu imaginei o desfecho que a história teve. Não tanto pela solução do mistério em relação à Helena, mas pelo desenlace que o autor encontrou para os acontecimentos mais densos.
Como não quero revelar spoilers, eu paro por aqui e deixo a dica.
 

15 comentários:

  1. Nossa, eu li Helena quando estava no ensino médio!Confesso que não lembro bem da história... Ah, vou reler... Com seu post deu vontade de ler outra vez! :)

    ResponderExcluir
  2. Li Helena já faz alguns anos, então não me lembro bem, assim como vários outras obras de Machado... Mas admiro muito a escrita dele e certamente relerei vários de seus livros.
    Está tendo um desafio literário relacionado à literatura clássica, se você quiser dar uma espiada... ^^
    Beijos,
    Tarsila
    http://desaliene.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nada do Machado de Assis, mas fiquei com vontade de ler esse. Também tenho vontade de ler Dom Casmurro dele, mas fiquei animada com a tua resenha :D

    Gabi

    ResponderExcluir
  4. Eu leio MAchado e cada vez fico mais encantada com a habilidade narrativa desse ARTISTA da literatura. esse livro eu nunca li, nem ouvi muitas coisas sobre ele, mas amei sua resenha e ja entrou para minha lista. O que mais gostos das resenhas são que elas servem de cupido entre mim e o livro, a sua funcionou perfeitamente. bem escrita, o texto não é longo nem curto demais e diz o necessário sem ser cansativo. parabens. gostei do seu blog, ja estou te segundo.

    Juliana Neves - nossa estante- 1 ano falando sobre livros

    ResponderExcluir
  5. Machado é sempre Machado, não é? Eu li as obras marcantes da fase realista dele - Dom Casmurro, Quincas Borbas, Memórias póstumas de Brás Cubas -, mas sempre tive vontade de ler "Helena". É incrível como um autor pode produzir literatura clássica, atemporal e poética e, ainda assim, criar uma história cativante. Poucos são os artistas que conseguem isso.

    Muito obrigado pela sua participação no desafio de clássicos, Ana! :-)

    Beijão!
    Robledo - http://livrosletrasemetas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. A única coisa que eu li de Machado foi alguns contos e nada mais. Dizem que Machado realmente é um autor e tanto, então eu tenho bastante vontade de ler um livro dele.
    Acho até que tenho alguns aqui em casa, vou ler! ;D

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  7. Acredita que nunca li "Helena"? Também não fazia ideia da trama. Acho que foi uma ótima escolha para o desafio e, de quebra, ainda despertou o interesse de muita gente.
    Bjo e até+!

    ResponderExcluir
  8. eu tenho vergonha de ler tão poucos clássicos brasileiros! gosto bastante dos contos que li de machado, ele é detalhista sem ser maçante...
    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu li, reli e li novamente... simplesmente amooo essa obra de Machado de Assis.... é fascinante.

    ResponderExcluir
  10. Eu não costumo ler esses livros, apesar de já ter tentado e até lido alguns. Esse me chamou atenção, às vezes pode ser uma boa forma de "começar". HAUH E deve ser barato, né?

    Fazia tempo que eu não passava aqui, mas volta e meia lembro do blog.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Adorei seu blog, muito criativo! Adoro qualquer coisa escrita por Machado de Assis, mas ainda não li Helena.
    Também tenho um blog e gostaria que vc desse uma olhada. O endereço é: http://www.criticaretro.blogspot.com/ Passe por lá! Lê ^_^

    ResponderExcluir
  12. Que resenha maldosa, vc terminou me deixando na maior curiosidade :D
    Tenho muita vontade d ler esse livro. Machado é Machado.
    Não sabia d nada da estória. E tenho que dizer, o quanto gosto do nome Helena hihi

    Bjão Ana!

    -Amigas Entre Livros-

    ResponderExcluir
  13. Perfeito. Muito bom teu texto. Não li, ainda, Helena. Mas, agora não tem mais como postergar. Um abraço

    ResponderExcluir
  14. Ja li, sem ter ideia do enredo, assim como você.
    Fiquei super impressionada com o final. Nunca imaginei uma coisa dessas, e o modo como acabou a historia, como os fatos se desenrolaram, foi uma coisa muito inteligente do autor.
    Não posso dizer mais por causa de spoiler.

    http://lerimaginarcriar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu amo Machado de Assis e cada vez que leio uma obra dele passo a ama-lo mais! Terminei de ler helena hoje e confesso que lá pela metade do livro já imaginava qual era o mistério da helena, mas nunca imaginei que ele fosse dar aquele desfecho para ela. Achei linda a história, já entrou para minha listinha de livros favoritos. :)

    ResponderExcluir

Você é livre para concordar ou discordar. Só não esqueça de respeitar as opiniões acima.
Obrigada! ;)